terça-feira, 31 de julho de 2012

Capítulo 09

Verônica estava paralisada na frente de Henry e seus amigos. Tinha feito aquilo mesmo? Roubou um beijo de Henry? Na frente de todos?
Droga! E Nick como fica?  Pensou.
Antes que pudesse pensar mais alguma coisa se surpreendeu com Henry chegando mais perto e pondo em suas costas uma mão. Pelo jeito o garoto havia se empolgado e iria retribuir o beijo. Mas Verônica virou o rosto.
- Espera, Henry! - Falou. - Vamos com calma!
- Mas porque? - Perguntou um amigo de Henry. - Estava tão legal.
Henry sorriu, não se contendo de felicidade.
- Você é um pervertido mesmo! Liga não, Verônica. Meus amigos são assim mesmo.
Verônica mais uma vez sorriu minimamente. Henry pensou ser de vergonha pelo comentário do amigo. E não queria mais sequer olhar para os amigos naquele momento. Apenas olhar para Verônica era seu desejo. Ver a garota também o mirando era incrível. Mordeu o lábio, sentindo vergonha, mas querendo mostrar a garota que estava afim de continuar a beijá-la.
- Verônica...
- Henry... - Interrompeu o garoto. - Então... Tenho de ir pra sala de aula. Depois a gente conversa, está bem?
- Está bem! - Henry respondeu com os olhos brilhando e um sorriso muito grande no rosto.
Verônica virou as costas ao garoto, Henry então a chamou mais uma vez.
- Verônica! Então quer dizer que estamos namorando?
A garota mexeu no cabelo e olhou para o lado um breve momento, e então tornou a olhar para Henry.
- Estamos! A menos que não queira. - Respondeu.
Henry ficou bobo novamente, e Verônica então voltou para sua sala de aula. Tentando ignorar os gritos, comentários, risos e piadas que os amigos de Henry faziam com ele, e mais ainda, tentando ignorar o que estava sentindo por dentro.

- O que é que há com você? - Perguntou Annie, sem fôlego, para Mallory. - Você é maluca?
- Maluca é você! - Respondeu Mallory. - O clube do baseado odeia que falem com eles, garota. E se alguém tivesse te ouvido falar sobre o baseado deles, com certeza você entraria numa fria por colocar os três numa enrascada.
- Meu Deus! Nessa escola só tem loucos! - Disse Annie um pouco assustada. - E quer dizer que preciso de senha pra falar com alguém aqui?
- Você precisa é ter cuidado com quem vai falar e o quê vai falar. - Avisou Mallory a garota. - Craig, Donnie e Lorraine formam o grupo mais temido da escola. Não falam com ninguém, a não ser que queiram colar em exames, ou queiram que entregue o dinheiro do lanche... Tipo isso.
- Nossa! - Annie arregalou os olhos. - Eles devem então arrumar muita confusão por aqui, não é?
- O fim do ano passado foi marcado por Craig arrancar um dente de um garoto com um soco.
Annie tapou a boca com a mão.
- E o garoto, quem é?
- Adolfo Melton. Mas ele quis sair do colégio depois disso.
- Caramba! Ainda bem que você me tirou de lá a tempo. Amo meus dentes. - Comentou. - Mas o que você estava fazendo lá?
- Queria falar com você. - Respondeu. - Cecily e eu queriámos que amanhã você se sentasse com a gente no intervalo. A menos que você não queira.
- Eu quero! - Disse Annie, animada. - Mas porque?
- Gostamos de você! Você parece ser da galera.
- Obrigada. - Riu Annie.
- Então está bem! Hora de ir pra aula. Até amanhã então!
- Mas estamos na mesma sala, Mallory!
- Estamos? - Perguntou Mallory, confusa. - Sei lá! Até o intervalo não tinha te notado.
- Estamos. - Respondeu Annie, puxando a garota. - Lembro de não ter assistido a aula por estar distraída olhando seus tênis de caveira. Vamos!
E as garotas foram para a sala de aula conversando sobre os assessórios punk de Mallory. E ao entrarem na sala, viram que o professor ainda não havia chegado. Isso porque muitos alunos estavam em pé, conversando com seus colegas. Mallory chamou Annie para sentar perto dela, e Annie rapidamente aceitou. Pegou suas coisas e foi mudar de lugar. Ao passar por alguns colegas, pisou no pé de uma garota.
- AI! - Falou bem alto. Todos da turma pararam para olhar a cena.
- Desculpa! - Disse Annie, olhando para a garota. Percebeu que havia pisado no pé de Lorraine, a garota com maior fama de briquenta da escola. Annie ficou um pouco apreensiva. Não sabia do que aquela garota era capaz. Também não sabia do que Mallory e Cecily eram capazes, mas pelo menos não havia visto as duas com baseado. - Não tive a intenção.
Lorraine olhou para a garota como se olha para um inseto.
- Novata, não é?
- Sou. - Respondeu Annie. - Porque?
- Por que você então vai ter o prazer de me pagar o lanche pelo resto da semana.
Annie a olhou intrigada.

Verônica ouviu durante o restante das aulas seus primos James e Lion fazerem brincadeiras sobre ela e Henry, depois de ter contado o que aconteceu a eles. E percebeu também que Cecily, a garota gótica, a olhou feio, pelo menos nas três vezes em que, movida por muito tédio, Verônica se obrigava a olhar para qualquer coisa na sala menos a explicação do professor. E então foi salva pelo fim do dia letivo. Mas não conseguiu fugir de Henry, que a esperava na saída. Ele disse que queria sair com ela. Então marcaram de se encontrar depois do jantar.
A noite, quando todos estavam terminando de comer a lasanha da Farrah, Verônica anunciou.
- Gente, avisando pra vocês que vou sair com o Henry.
Lion olhou para James e Ryan, sorrindo maliciosamente.
- Aposto que Verônica não chega antes das 10! - Falou baixo para os garotos.
- Está apostado! - Disse James. - 5 libras.
- Verônica! - Chamou Farrah. - Foco no agora, garota! O passado deixa pra o museu.
Verônica sorriu para a amiga.
- É irmã. - Disse Annie. - Seja feliz. Se permita amar novamente. Não dê espaço para os fantasmas do passado.
E beijou a bochecha da irmã, que retribuiu dando-lhe um abraço forte. Saindo então ao encontro de Henry.
Verônica estava dobrando a esquina da rua, quando viu a lua. Grande. Bela. Magnífica... E solitária naquele céu sem estrelas. Verônica não deixou de reparar em um pequeno prédio de aspecto abandonado, a umas cinco ruas, que ficava exatamente abaixo da lua.
A garota olhou um momento para a lua e para o pequeno prédio. Então a garota não pensou duas vezes, desviou seu caminho de encontro a Henry para aquele lugar.
Ao chegar no prédio, viu que ele estava abandonado, e muito sujo. Havia todo tipo de sujeira na entrada. Então foi até a lateral do prédio e viu a escada de emergência, e subiu até o topo.
A visão era muito bonita. Uma pequenina parte da cidade dava para ser vista do local. Mas nada era mais linda que a lua, que parecia estar maior. Verônica pegou seu MP3 e pôs alguma música para guardar aquele momento. Selecionou "Hideaway" de The Corrs. Nesse momento a garota sentiu o vento no rosto e fechou os olhos por um momento.
Parecia que estava sendo carregada para outro lugar. E então tornou a abrir os olhos, lentamente. O que viu em seguida parecia não ser real.
Verônica estava na pequena floresta em Surrey.
Não conseguiu olhar para lado algum, apenas se perguntou o que estava fazendo alí. No momento seguinte ouviu risos. Muitos risos.
Verônica conheceu os tais risos no ato. Viveu muito tempo tendo pesadelos com aqueles risos. Lembrou que nos seus pesadelos, ela os ouvia e por mais que procurasse saber de onde vinham nunca os encontrava. Mas aquilo era um pesadelo? Não podia! Ela estava a 5 minutos andando pela rua.
Começou a chorar de angústia. Mas não se mexia de modo algum. E passado um momento percebeu que atrás de uma árvore que estava a sua frente, uma pessoa a observava. Ela percebeu que era um garoto. E esse garoto ria de felicidade.
- Verônica! - Disse o garoto rindo.
Mas Verônica não o reconheceu, pois não dava para ver o seu rosto.
- Verônica! - Disse o garoto novamente, rindo. Desta vez ele saiu detrás da árvore e Verônica reconheceu as roupas. Eram as roupas que Nick estava vestindo no dia em que foi embora. Mas o garoto era alto. Não era mais um garotinho.
- Nick! - Chamou. - Nick! É você? É você, Nick? É você, meu amor?
O garoto então correu a seu encontro, sem responder a pergunta. Verônica se assustou. Não podia ser Nick, não daquele tamanho. Mas se não era ele... Quem seria? Não podia ser outra pessoa! E quando o garoto estava chegando perto dela, seus olhos se fecharam. Ao abrir, Verônica havia voltado ao lugar que estava.
Ela estava do mesmo jeito que estava quando fechou os olhos, mas trêmula.
No momento seguinte, chorou descontroladamente.
Será se nunca se libertaria desse passado? Será que Nick nunca a deixaria? E será que ela queria que ele a deixasse? Será que nunca deixaria os fantasmas do passado?
Verônica não suportou aquela angústia que a estava consumindo, e sentou no chão imundo pondo as mãos no rosto, ainda chorando.

Tema do episódio: "Hideaway" de The Corrs


♪ Músicas online grátis! Acesse: www.powermusics.com

24 comentários:

  1. ownnnnnn. Verônica não esquece o Nick mesmo não. Q feio dá um bolo no fofo do Henry. Lindo capítulo, Aciello.
    Karen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil esquecer um grande amor, não...vc está vendo como é...rsrsrs...E ela vacilou mesmo!
      Obg pelo comentário, Karen.

      Excluir
  2. veronica don't forget her first love.but to live because this boy...
    if I was Henry I let her alone.Congratulations, Aciello.
    Greg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosh, Greg...She don't deserve this...LOL... i'ts no easy forget a great love, isn't it? Thanks to your comentary.

      Excluir
  3. a veronica naum consegue esquecer do seu passado,do nick sendo q o henry ta caidinho por ela + mesmo assim ta d+ o conto
    Maria Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Maria Fernanda...tah difícil a garota esquecer o Nick, mesmo o Henry fazendo de um tudo pra ela!
      obg pelo comentario!

      Excluir
  4. Oi sou henrique de BH,e essa verônica está vacilando d+! coitado do henry.o cara está super apaixonado por essa garota e ela só quer saber do tal do nick.
    Mas está mtu legal o conto,tow gostando muito cara.eu e meus irmãos jaime e camille
    parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obg, henrique por vc e seus irmãos jaime e camille gostarem do blog...
      obg mesmo! leiam e comentem sempre, tah?

      Excluir
  5. que hermoso! Aciello, me encanta su extraordinaria historia. Usted tiene un gran potencial como escritor y le deseo todo el éxito del mundo, hermoso niño!
    Beso de su fan de Puerto Rico. Alicia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracias, hermosa! que bueno tener una admiradora tan cool comigo!
      Un beso para usted e el Puerto Rico. gracias, chica!

      Excluir
  6. verônica is a stupid girl! I hate her, and i'm loving to hate her.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No, she's no stupid, she's in love with a boy (Nick)...LOL
      and thanks loving to hate her.

      Excluir
  7. ai,q otária!quisera eu ter na minha vida um henry lindo loiro e fofo como a verônica está tendo.eu não ia disperdiçar tempo com ex.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummm...será??? E vc tivesse vivido um grande amor com o tal ex, será que ele ainda não estaria mexendo com você? kkkkk
      Tem pessoas que são assim!
      Obg pelo comentario!

      Excluir
  8. pois é...se eu tivesse na minha vida um cara gato e que fosse apaixonado por mim,eu que não daria bolo nele pra ficar chorando por outro.
    aciello,deixa a veronica com o henry, pfv.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe...? Só continuando a ler o conto...aí vc saberá se ela ficará com Henry ou não...kkkkk
      obg pelo comentário

      Excluir
  9. eu quero que o henry de um gelo nela,só pra ela deixar de ser uma idiota.kkkkkkkk
    adoro s.o.s. coração beijao aciello

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hummmm...pode ser q ele dê um gelo nela...mas ele é louco por ela, será se ele vai conseguir ficar com raiva dela?
      continue a ler o conto... aí vc saberá...kkkk
      beijão e obg por comentar.

      Excluir
  10. verdade! se o henry naum der um gelo nela ele é q vai ficar de idiota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode ser q sim...pode ser q não...mas ele vai se dar bem dando ou naum um gelo nela...rsrsrs
      continue a ler o conto.
      obg pelo comentário.

      Excluir
  11. veronica is so insane... a moment wants one boy, another moment wants other...it's insane.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. when we're in love...we're insane! we do things and don't think in consequenses.
      thanks to the comentary.

      Excluir
  12. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se você puder, visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  13. obg, Morgan!
    Seu blog é muito bom tbm...tem mtus posts interessantes...muito bom mesmo!
    e pode deixar q vou continuar a visitaá-lo.
    valeu!

    ResponderExcluir